​v i d r o – Paradeiro

LYRIC
Paradeiro

Letra de "Paradeiro"

Intro

Continuam as buscas para encontrar o cantor que está desaparecido
[Don't touch that guy
Buscas aqui na zona de Peniche, foi o local onde deixou o carro no Porto da Areia Sul e que fez-

Verso 1

Se eles te perguntarem por mim
Diz-lhes que não me viste
Bateste à porta eu não te abri
Então tu não subsiste
Não insististe p'ra saber se foi doença ou não
Tu desististe sem saber o motivo da reclusão
Eu estou à parte então
Do mundo à parte num quarto
Sem fazer planos p'ra nada
Carrego o peso do fardo
Das palavras que brotam desta caneta Bic
Que eu tento compilar em quadras
Em cima de um beat
Com isto me identifico
Admito não é difícil
Eu alimento este vício quando tudo se complica
Já nada se clarifica
Cada tarola é um míssil
Que atinge esse edifício
Que aos poucos se danifica
E são gincanas cerebrais
Já não se simplifica
É a mais grave patologia que se identifica
Intoxica relações
Posições são voláteis montadas conforme disposições
Com fome de inspirações
Às vezes de mãos atadas, contorno proibições e imposições
Por isso fujo, procuro abrigo
Sujo procuro amigos em barras
E corto as amarras
Desapareço p'ro outro lado do horizonte
Sozinho procuro a fonte da vida
Viagem só de ida
É longa a descida
Mas p'a essa queda vou de cabeça
Entre insónias e memórias e retóricas e manias

Refrão

Desaparecido há vários dias
Desaparecido há vários dias [Desaparecido
Desaparecido há vários dias
Ninguém sabe do paradeiro
Desaparecido há vários dias
Desaparecido há vários dias
Encontrado morto num desfiladeiro cavado em rimas
E de olhar fosco
Mas com um sorriso
Porque a morte ainda chegou a gosto
Num serão mais quente
Que as noites em agosto
[Encontrado morto]

Outro

Foram usados cães para chegar até ao corpo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *