Aos Poucos – ÁTOA
Genre Pop

LYRIC
Aos Poucos

Refrão - Alfaccino

Vamos tentando aos poucos
As vezes também é preciso falhar
P'ra aprender com os erros
Eu nunca quis magoar os teus sentimentos
Não ouves, p'ra quê falar?
Sei que ao menos eu quis tentar
Mas, tu não ouves

Verso 1 - Alfaccino

Não vale a pena
Chega destes esquemas
Muitas vezes nós criamos o próprio problema
Saímos de cena, p'ra não piorar a situação
Prefiro não lutar p'ra saber quem têm a razão
Então, a-a-a-ão, como é que não pensaste nisto
Se o amor é um compromisso, uh, uh
Há que lidar com as diferenças, yeah

Verso 2 - João Direitinho

As nossas conversas as vezеs deixam-me a pensar
Quе com a cabeça quente mais valia nem falar
Se tu dizes o que sentes, ou é só p'ra magoar
Sei que as vezes durmo menos só p'ra tentar evitar
Mais confusão, mas uma relação não se constroi sozinha
As vezes obtamos por outro caminho
Mas acabamos por tar a caminhar sozinhos, yeah

Refrão - Alfaccino

Vamos tentando aos poucos
As vezes também é preciso falhar
P'ra aprender com os erros
Eu nunca quis magoar os teus sentimentos
Não ouves, p'ra quê falar?
Sei que ao menos eu quis tentar
Mas, tu não ouves

Verso 3 - João Direitinho

Já são sempre iguais as nossas discussões
Eu queria falar contigo mas não há condições
Tu, só fazes filmes, ei, eu trago filmes
Sobre como eu 'tou metido noutras relações
Eu não faço nada daquilo que pensas
O que eu fiz por nós tu nem imaginas
'Tar contigo já não é o mesmo
Mas 'tar com as outras já não me fascina, ei

Verso 4 - Alfaccino

Mesmo que eu queira ela não desliga
As acusações são becos sem saída
Ela prefere amar em sentido proíbido
Tudo o que fazemos é [?] e improviso
Eu curto isso e vais por maus caminhos
E nós fazemos isto andar ao nosso ritmo
Então, não brinques
E mesmo que eu fique a perder
Eu sei que

Refrão - Alfaccino

Vamos tentando aos poucos
As vezes também é preciso falhar
P'ra aprender com os erros
Eu nunca quis magoar os teus sentimentos
Não ouves, p'ra quê falar?
Sei que ao menos eu quis tentar
Mas, tu não ouves

Vamos tentando aos poucos
As vezes também é preciso falhar
P'ra aprender com os erros
Eu nunca quis magoar os teus sentimentos
Não ouves, p'ra quê falar?
Sei que ao menos eu quis tentar
Mas, tu não ouves

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *